PPAv_Navegacao

Navegação Aérea
Introdução

 

A partir de determinado ponto geográfico se pode obter sua posição no globo terrestre (o que fundamental para que as equipes de regate por exemplo). Para tanto é necessário o estudo dos fusos horários e os pontos mais significativos para navegação tais como: tempo, distância, posição e orientação.

 

Orientação:
 
Pontos Cardeais: quando nos guiamos na direção dos meridianos pólo norte (N 360º) ou pólo sul (S 180º) e ou paralelos para o oeste (W 270º) ou para o leste (E 90º).

 

Pontos Colaterais: nordeste (NE 45º), sudeste (SE 135º), Sudoeste (SW 225º) e Noroeste (NW 315º).

 

Subcolaterais: intersecção dos pontos cardeais e colaterais


Esses pontos formam a Rosa dos Ventos, onde o sentido horário é da esquerda para a direita. O sol como meio de Orientação: Ao estendermos nosso braço direito para o lado em que nasce o sol, teremos a frente o N, à direita o E, as costas o S e a esquerda o W.

Tipos de Navegação


Visual
, Praticagem ou por Contato: Consiste em determinar a posição e orientação de uma aeronave por intermédio de referências visíveis na superfície terrestre, tais como: cidades, rios, estradas, pontes, etc. O instrumento são os olhos.

Estimada: Determina-se através de uma última posição conhecida através da associação de vários instrumentos como os Olhos, a Bússola, o Relógio e o Velocímetro, sendo assim o principal tipo de navegação utilizada.

Rádio (Radio Goniometria): Piloto se orienta unicamente pelas ondas de rádio, calculadas manualmente.

 

Eletrônica: O Computador interpreta as ondas de rádio, neste caso o piloto fica apenas observando se o computador esta calculando corretamente.

 

Celestial ou Astronômica: Neste processo é fundamental o conhecimento profundo de astronomia, utilizando equipamentos tal como o sestante, observando a posição de 54 estrelas na Abóboda Celeste “céu”, onde a noite se guia pelas constelações e durante o dia pelo Sol.

 

Satélite: Posição obtida através de sinais recebidos por 24 satélites ao redor da terra, sendo um exemplo o equipamento chamado GPS.

 

Em toda navegação aérea, temos que ter: o ponto de partida, o destino e a alternativa (especificado no plano de vôo). Para tanto temos que ter condições de determinar a todo instante, dois elementos fundamentais, a saber:

 

Localização – para verificarmos se a trajetória, até então desenvolvida, foi satisfatória.

Orientação – para darmos continuidade, desenvolver ou alterar a trajetória.

 

Determinada a localização e a orientação, é preciso saber nossa:

Posição – está relacionada ao trajeto previsto, significa questionar-se: de onde vim, onde estou, para onde vou.

Direção – é o rumo seguido até então e para onde seguir.

Distância – é o espaço percorrido ou a percorrer.

Tempo – período gasto ou a gastar, é calculado dividindo a distância pela velocidade.

Unidades de medida de distância

Distância: É a medida do espaço compreendido entre dois pontos considerados. Em navegação aérea é sempre medida em linha reta entre pontos.

Altura: é a medida do espaço entre um ponto no espaço (céu) e o um plano de referência no sentido vertical (solo).

Altitude: é a medida do espaço entre o ponto no espaço e o nível médio do mar (NMM).

Elevação: idem a altitude, só que deve-se considerar o espaço entre um plano e o NMM.

 

Para medir distâncias na vertical (altitudes, alturas e elevações) utilizamos pé (ft) ou metro. Onde:

 

 

1000 FT = 304,8 m

1NM = 1,852 Km

1NM = 1.852 m

1 ST(MT) = 1,609 Km

1 ST(MT) = 1.609 m

1º = 60 NM

1Km = 1000 m

 

Legenda: NM = Milhas Náuticas; ST = MT Milhas Terrestres; FT = Pés; m = Metros.

 

Unidades de medida de velocidade

 

1 NM/H – 1 KT

1MPH – 1 ST(MT)/H

10 NM/H – 10 KT

10MPH - 10 ST(MT)/H

100 NM/H – 100 KT

100MPH – 100 ST(MT)/H

 

Legenda: NM/H = Milhas náuticas por hora; ST (MT)/H = Milhas Terrestres por hora

 

Um giro ao redor da Terra equivale a 21.600 NM.

 

Noções sobre a Terra

 

A Terra está animada de dois movimentos principais, a considerar:

Rotação: Movimento da Terra em torno do eixo polar no sentido anti-horário ou ainda de Oeste (W) para Este (E), originando uma unidade natural de tempo chamado de dia e noite.

Translação: Movimento que a Terra realiza em torno do Sol no período de um ano. Determina os anos e as estações.

 

Dia Solar

Verdadeiro: O Sol “ocupa” um ponto 2 vezes, a Terra completa um giro de 361º.

Civil: É a hora do relógio, a Terra completa 360º em torno do Sol. Equivale dizer que a translação se dá em 365 dias e 6 horas civis.

 

Coordenadas Geográficas

Latitude (Paralelo): É o endereço numérico dos círculos máximo e menores. Separado o globo entre Norte e Sul pela linha do Equador.

Longitude (Meridiano): Separa o globo entre Oeste e Leste, através do Meridiano de Greenwich e 180º (também conhecido como Datum Line ou Linha Internacional de Data).

Ponto geográfico

 

É um ponto, na superfície terrestre, formado pela intersecção de um paralelo e um meridiano. Para podermos expressar este ponto precisamos determinar dois ângulos:

Latitude: formada pelo plano do Equador e o plano de um paralelo.

Longitude: formado pelo plano do meridiano de Greenwich e o plano de um meridiano.

 

Ex. Latitude 00º12’S // Longitude 130º14’W

 

Rota – Rumo - Proa

Rota: linha reta que liga o ponto A ao ponto B. Exemplo: SP – RJ.

Rumo: direção da rota ou ainda, ângulo formado entre o Norte e a linha da rota. Ex: RJ

Proa: é o rumo corrigido para o vento ou ainda, ângulo formado entre o Norte e o eixo longitudinal (nariz) da aeronave.

 

Declinação Magnética (DMG)

 

Ao navegar interessa saber o valor da DMG de uma região que pretenda voar, pois as direções obtidas nos equipamentos de bordo são referenciados ao NM (Norte Magnético) e não ao NV (Norte Verdadeiro) onde conjuntamente com a Rota, Rumo e Proa temos:

 

P

R

NV

PV

RV

NM

PM

RM

 

Legenda: NV = Norte Verdadeiro; NM = Norte Magnético; P = Proa; R = Rumo.

 

Fusos Horários

Hora UTC (Universal Time Coordenate, antigo GMT): é a hora da aviação, utilizada pelos controladores de vôo e pilotos. Ex: 12:00 Z (É computada no meridiano de Greenwich e válida para qualquer ponto na superfície terrestre, ou seja, a mesma para Japão, Brasil, EUA, etc. Recebe uma letra designativa Z, zulu em fonia).
A partir do Meridiano de Greenwich que é contada para o mundo inteiro.

Hora da Zona (HZ): é a hora tomada no fuso central. Estas zonas são em número de 24 e os meridianos centrais são: 000º, 015º, 030º, 045º, 060º, 075º, 090º, 105º, 120º, 135º, 150º, 165º, 180º, E e W.

Hora Legal (HLE): é a hora adotada por um país como sendo a sua referência para as suas atividades (militar, econômica, social, política, dia-a-dia...).

Hora Local (HLO): é a hora correspondente especificamente à hora medida em meridiano de longitude. O Brasil possui 4 HLO: O +2; P +3; Q +4; R +5.

Quando somamos a hora legal (HLE) de um país com a descrição da zona (+ ou -) um nº de 1 a 12, obtemos a hora UTC. UTC = HLE + (FUSO).

Datum Line ou Linha Internacional de Data: é uma linha imaginária utilizada por convenção, para separar fusos horários. É o antimeridiano do Meridiano de Greenwich (em outras palavras meridiano 180º).

 

Créditos :Silva , Tiago

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Tropical Linhas Aereas Virtuais

Cms by phpVMS