PPAv_Regras_VFR


REGRAS DE VOO VISUAL
 
http://3.bp.blogspot.com/-zR7gJwnlzNA/TbnOfbrDeQI/AAAAAAAAAPc/tm5vvnlX6M8/s1600/Voo_IFR.jpg
 
 
Exceto quando operando como voo VFR especial, os voos VFR deverão ser conduzidos de forma que as aeronaves voem em condições de visibilidade e distância das nuvens iguais ou superiores.
 
Os voos VFR somente serão realizados quando simultânea e continuamente puderem cumprir as seguintes condições:

a) manter referência com o solo ou água, de modo que as formações meteorológicas abaixo do nível de voo não obstruam mais da metade da área de visão do piloto;
b) voar abaixo do nível de voo 150 (FL 150); e
c) voar com velocidade estabelecida.
 
Exceto quando autorizado pelo órgão ATC para atender a voo VFR especial, voos VFR não poderão pousar, decolar, entrar na ATZ ou no circuito de tráfego de tal aeródromo se:

a) o teto for inferior a 450m (1500 pés); ou
b) a visibilidade no solo for inferior a 5km.
 
 
 
Exceto em operação de pouso e decolagem, o voo VFR não será efetuado:
 
a) sobre cidades, povoados, lugares habitados ou sobre grupos de pessoas ao ar livre, em altura inferior a 300m (1000 pés) acima do mais alto obstáculo existente num raio de 600m em torno da aeronave; e
b) em lugares não citados na alínea anterior, em altura inferior a 150m (500 pés acima do solo ou da água.
 
Para a realização de voos VFR nos espaços aéreos Classes B, C e D as aeronaves devem dispor de meios para estabelecer comunicações em radiotelefonia com o órgão ATC apropriado.
Quando voando nos espaços aéreos ATS classes E, F e G, os voos VFR não estão sujeitos a autorização de controle de tráfego aéreo, recebendo dos órgãos ATS tão somente os serviços de informação de voo e de alerta.
 
RESPONSABILIDADE DO PILOTO

Caberá ao piloto em comando de uma aeronave em voo VFR providenciar sua própria separação em relação a obstáculos e demais aeronaves por meio do uso da visão, exceto no espaço aéreo Classe B, em que a separação entre as aeronaves é de responsabilidade do ATC.
 
NÍVEIS DE CRUZEIRO

Exceto quando autorizado pelo órgão ATC, os voos VFR em nível de cruzeiro, quando realizados acima de 900m (3000 pés) em relação ao solo ou água, serão efetuados em um nível apropriado à rota, de acordo com a tabela de níveis de cruzeiro.
 
TABELA COM CARACTERÍSTICAS ESPAÇOS AÉREOS
 
http://4.bp.blogspot.com/-mCMsETaXaDo/TjhGX4zzX0I/AAAAAAAAAI8/mOgoEYsUZ2U/s640/Sem+x.png
 
 VFR ESPECIAL

Para esses casos, as seguintes condições devem ser observadas:
Somente poderão ser realizados no período diurno;
As aeronaves deverão possuir equipamento de rádio (VHF) em funcionamento;
As condições meteorológicas nos AD envolvidos deverão ser iguais ou superiores aos
seguintes valores :
teto: 1000ft (300m)
visibilidade: 3000m
O vôo deverá ser autorizado por um APP ( Controle de Aproximação) e realizado dentro de uma TMA ou CTR.

CONDIÇÕES PARA VOAR VISUAL

Período Diurno - Os Aeródromos envolvidos deverão estar registrados ou homologados para a operação VFR;
As condições predominantes nos aeródromos envolvidos, devem ser iguais ou superiores aos mínimos estabelecidos para a operação VFR.
 
PERÍODO NOTURNO:
Além das condições prescritas acima:
1.    O piloto deverá possuir habilitação para vôo IFR;
1.    A aeronave deverá estar homologada para vôo IFR;
1.    Os aeródromos de partida, de destino e de alternativa deverão dispor de:
1.    Balizamento luminoso das pistas de pouso em funcionamento;
1.    Farol de aeródromo em funcionamento e
1.    Indicador de direção de vento iluminado ou órgão ATS em operação.
1.    A aeronave deverá dispor de transceptor de VHF em funcionamento para estabelecer comunicações bilaterais com órgãos ATS apropriados.
Quando realizado inteiramente em ATZ, CTR ou TMA, incluindo as projeções de seus limites laterais, ou, ainda, na inexistência desses espaços aéreos, quando realizado dentro de um raio de 50 km (27 NM) do aeródromo de partida, não se aplicarão ao vôo VFR Noturno as exigências de o piloto ser habilitado e a aeronave homologada para vôo IFR.
NOTA: No caso de VFR noturno realizado inteiramente em ATZ, CTR e/ou TMA adjacentes, não serão aplicados as exigências de o piloto ser habilitado e a aeronave homologada para vôo IFR.

AUTONOMIA MÍNIMA EM VOO VISUAL

Autonomia é o tempo total que um aeronave é capaz de voar, em velocidade de cruzeiro, baseado na quantidade de combustível que ela possui.Para a realização de um vôo VFR, a autonomia mínima será:
Da decolagem ao destino mais o tempo entre o destino e a alternativa, mais 45 minutos de reserva. Ou seja: A -> B -> C + 45 min. (DEP) (ARR) (ALT) (reserva)
Para vôos inteiramente dentro de uma área terminal (TMA) ou, em locais onde não existam esses espaços, a 27NM (50KM) de raio do AD de partida, a autonomia mínima será de: A -> B + 45 min. (DEP) (ARR) (reserva)
 
 

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Tropical Linhas Aereas Virtuais

Cms by phpVMS