PPAv_Trem_de_Pouso

 
O trem de pouso é o conjunto das partes destinadas a apoiar o avião no solo e ainda:
 
http://voetla.org/images/IMG_8280-960x640.jpg
 
Amortecer os impactos do pouso;Frear o avião;
Controlar a direção no taxiamento ou manobras no solo;
Existem aviões que operam no meio aquático e outros no meio terrestre. nesse sentido, os aviões classificam-se em hidroaviões (ou hidroplanos), aviões terrestres e aviões anfíbios.
 
 
                                                                    Avião Hidroplano
 
http://voetla.org/images/tremdepouso/hidroaviao11.jpg
 
                                                                    Avião Terrestre
http://voetla.org/images/tremdepouso/20090603173041.0.jpg
 
                                                                      Avião Anfíbio
 
http://voetla.org/images/tremdepouso/seamax02.jpg
 
Quanto a distância de pouso e decolagem, há três tipos de aviões:
 
·         VTOL (Vertical Take-off and Landing ou Decolagens e Pousos na Vertical)
·         STOL (Short Take-off and Landing ou Decolagem e Pous Curtos)
·         CTOL (Conventional Take-off and Landing ou Decolagem e Pouso Convencionais)

Quanto a sua mobilidade, o trem de pouso pode ser:
 
                                                                               Fixo
http://voetla.org/images/tremdepouso/20090603173041.0.jpg

                            Retrátil
http://voetla.org/images/tremdepouso/Douglas-DC-3.jpg
 
                                                                      Escamoteável;
 
http://voetla.org/images/tremdepouso/ABoeing737-700comtremdepousorecolhido.jpg
 
O trem de pouso Retrátil ou Escamoteável é recolhido através de um mecanismo hidráulico ou elétrico, ou então um sistema manual de emergência. Depois de o piloto acionar uma chave ou alavanca para baixar o trem, acende-se uma luz para cada "perna" do trem de pouso, avisando que elas estão baixadas e travadas.
Quanto à disposição das rodas, o trem de pouso pode ser:

 
                                                                Convencional
http://voetla.org/images/tremdepouso/Capturar.PNG
 

                                                                   Triciclo

https://4.bp.blogspot.com/-HcAce8Fjpg0/U9Gaf7EeGaI/AAAAAAAADHg/n_geq5o6hLE/s1600/Capturar.PNG
 
O trem de pouso de mola é o tipo mais simples. Consiste numa lâmina ou tubo de aço flexível que atua como mola. absorvendo o impacto do pouso. porem a mola não amortece o impacto, isto é, não dissipa a energia absorvida. 
Em vez disso, ela a devolve ao avião, podendo fazê-lo saltar de volta ao ar. Isso pode ser evitado através de um pouso cuidadoso e suave.
http://voetla.org/images/amordomola.PNG
 
Em alguns aviões, a estrutura do trem de pouso é rígida e articulada. O amortecimento é realizado por grossos aros de borracha. Num pouso, o trem de pouso abre-se para os lados, esticando os aros de borracha e absorvendo o impacto do choque.
os amortecedores de borracha podem também ter a forma de discos ou cordas (denominadas sandows) e estão se tornando obsoletos.
 
AMORTECEDORES HIDRÁULICOS
O amortecedor hidráulico é construído por uma haste que desliza dentro de um cilindro contendo um fluido oleoso. Esse fluido realiza o amortecimento do impacto e uma mola externa suporta o avião
 
AMORTECEDORES HIDROPNEUMÁTICOS
Neste amortecedor, que é também chamado óleo-pneumático, o ar ou gás dentro do cilindro é comprimido a uma pressão suficientemente elevada para suportar o peso do avião. Isso elimina a mola e melhora o funcionamento do conjunto.

Os amortecimento através de fluido é bem eficaz e praticamente evita o saldo do avião, mesmo em pouso relativamente mal executados (O famoso "Catrapo")
Na figura abaixo (Imagem 10), convém observar a tesoura, que serve para manter o alinhamento da roda enquanto a haste se recolhe, e o orifício e a agulha (ou um tubo especial chamado tubo-orifício), que restringe o movimento do fluido.
 
http://voetla.org/images/amortecedor2.PNG
 
O funcionamento dos amortecedores hidropneumáticos são:
 
·         TOQUE - O orifício restringe a passagem do fluido, absorvendo o impacto no momento do toque.
·         FIM DE CURSO - O ar está comprimido ao máximo. O orifício está mais fechado tornando o amortecedor meio "duro".
 
·         RETORNO - A pressão do ar provoca o retorno da haste. O orifício restringe o fluxo do fluido , suavizando o retorn da haste, isso evita o saldo d avião.
 
A figura abaixo mostra o funcionamento do amortecedor hidropneumático:
http://voetla.org/images/amortecedor.PNG
 
CONJUNTO DAS RODAS
Esse conjunto tem finalidade de permitir a rolagem do avião no solo e sua frenagem. 
Suas partes constituintes são:
Pneu;
Roda
Freio;
 
Os pneus e as rodas são basicamente semelhantes aos dos automóveis, conforme podemos observar abaixo:

O pneu é composto por Lonas, Sulgos e Banda de Rodagem. As Lonas formam a sua carcaça resistente, a Banda de rodagem é a superfície desgastável e os sulgos permitem a fuga da água, evitando que o pneu deslize numa pista molhada.

 Além dos pneus "com câmara" e "sem câmara", temos ainda pneus de:
·         "alta pressão" - para pistas pavimentadas e duras;
 
·         "baixa pressão" - para pistas macias como grama e a terra solta;
Existem três tipos básicos de construção das rodas de aviões, conforme mostra a figura abaixo:
A Câmara de ar fica dentro dos pneus e serve para conter o ar de inflagem. A pressão do ar é suportada pelo pneu e não pela câmara. Existem também os pneus sem câmara, que são suficientemente vedados para evitar a fuga do ar.
 
Flanges Independentes
 
http://voetla.org/images/flanges.PNG
 
 
Meias-Rodas
 
http://voetla.org/images/meiaroda1.PNG
 
Meias-Rodas
 
http://voetla.org/images/meiaroda2.PNG
 
 

Copyright © 2018 Todos os direitos reservados. Tropical Linhas Aereas Virtuais

Cms by phpVMS